Fernave lança primeiro Curso de Formação Inicial de Maquinistas para o mercado

 

A Fernave, enquanto entidade de referência na gestão do conhecimento ferroviário, com reconhecido know-how e experiência nesta área, face às alterações que se perspectivam no sector dos transportes e, em particular, que o sector ferroviário irá ter no futuro próximo, decidiu enriquecer a sua oferta formativa no âmbito ferroviário e para o mercado.

 

Para esse efeito, irá lançar muito brevemente o primeiro Curso de Formação Inicial de Maquinistas para o mercado em geral, aguardando-se neste momento a respectiva homologação do mesmo por parte da entidade reguladora, o IMTT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P..

 

O Curso de Formação Inicial de Maquinistas, cuja primeira edição está prevista iniciar-se em Outubro deste ano, é dirigido a todas as pessoas que tenham um mínimo de 20 anos de idade, o 12º ano de escolaridade e reúnam condições de aptidão física, mental e psicológica para o exercício da função de condução de comboios. O mesmo terá a duração de 9 a 10 meses, incluindo formação teórica, prática e estágio de aperfeiçoamento de condução em linha.

 

O processo de recepção de candidaturas será lançado em finais de Agosto, altura em que serão realizadas Sessões de Apresentação deste Curso em Lisboa, Porto e Entroncamento e para todos os que estiverem interessados. O valor da formação será integralmente suportado pelos candidatos, obtendo estes no final do curso a habilitação para o exercício da função de condução de comboios para a rede ferroviária nacional e no futuro (assim que a Directiva Comunitária seja transposta em Portugal), para as demais redes ferroviárias da Comunidade Europeia.

 

Assim que o processo de homologação deste curso estiver terminado serão divulgados mais detalhes sobre a sua realização.

 

Esta é mais uma iniciativa que a Fernave pretende desenvolver no quadro das alterações que se perspectivam do modelo de governação e de gestão do sector ferroviário nacional e, também, de abrir ao mercado a possibilidade de acesso a uma profissão que até à data apenas estava disponível mediante as iniciativas próprias dos operadores de transporte ferroviários de passageiros e de mercadorias.

 

Tal como já aconteceu para o sector aéreo, o sector ferroviário nacional irá sofrer uma profunda reformulação no que concerne à certificação e habilitação das competências profissionais que asseguram o seu normal funcionamento e cumprimento de requisitos regulamentares, sendo necessário preparar o mercado nacional para o eficaz cumprimento das directivas e normativos comunitários. É a este desafio que a Fernave, desde já, pretende dar o seu contributo.