FERNAVE conquista contrato com segundo operador ferroviário de Angola

-CFM adjudica à Fernave a Assistência Técnica para o inicio da sua operação ferroviária-

 

Lisboa, 7 Outubro - A Fernave, empresa de Formação Técnica participada pela CP, REFER e Metropolitano de Lisboa assinou hoje, no Lubango, em Angola, o seu segundo Protocolo de Cooperação Comercial e Institucional em Angola, agora com o CFM- Caminho de Ferro de Moçamedes, E.P.

O documento implica numa primeira fase, e a curto prazo, um valor de 150 mil euros com Assistência Técnica.

Prosseguindo a sua estratégia de crescimento no mercado ferroviário angolano, a Fernave firmou um acordo no âmbito do desenvolvimento do Sector do Transporte Ferroviário de Passageiros e Mercadorias do CFM, segundo o qual a empresa portuguesa irá elaborar, implementar e operacionalizar o Plano de Formação do CFM e desenvolver, capacitar e implementar as acções necessárias para a criação e internalização de uma área de formação que permita a esta empresa desenvolver as acções de formação, reciclagem e certificação dos seus quadros técnicos.

Também ficou acordado no âmbito da assinatura do protocolo que, a curto prazo, a Fernave irá contribuir no processo de operacionalização das áreas de Comando e Controlo de Circulação, da Exploração ferroviária e de manutenção de material circulante, disponibilizando de imediato recursos humanos para a assistência técnica nestas áreas.

A Administração do CFM pretende com esta colaboração iniciar a operação experimental já no final do corrente mês de Outubro.

O CFM, após cerca de 30 anos de paralisação devido à guerra civil, tem vindo desde 2006, a realizar trabalhos de reabilitação e modernização das infra-estruturas, de melhoria dos sistemas de telecomunicações e sinalização, e de construção de novas pontes e estações. Este programa de reabilitação e modernização do CFM, irá permitir uma maior circulação de pessoas e mercadorias, contribuindo para o desenvolvimento de modo sustentável, das regiões do sul do País e de alguns estados da África Austral.

Com 756km de comprimento, a linha do Caminho-de-Ferro de Moçamedes, parte da cidade costeira do Namibe, passa por Bibala, Lubango e Matala, e chega a Menongue, capital provincial do Kuando Kubango, no leste de Angola. A ligação entre Lubango e Menongue foi retomada no final do mês de Agosto, em regime experimental.

A subscrição do Protocolo vem contribuir para a consolidação da presença da Fernave em Angola como uma entidade de referência no sector ferroviário, alargando o seu mercado a nível internacional, intervindo na área ferroviária, a qual constitui o seu ADN natural e pelo qual tem vindo a ser amplamente reconhecida em Portugal pelo seu accionistas (CP e REFER) e demais operadores ferroviários privados (Fertagus, Takargo, Metro do Porto).

Recorde-se que a Fernave assinou recentemente um Protocolo de Cooperação com o CFL – Caminho-de-ferro de Luanda, iniciando-se a 24 de Outubro as acções de formação inicial para cerca de 30 maquinistas desta empresa, asseguradas exclusivamente por formadores certificados da Fernave.

O CFL também, concedeu este mês à Fernave a elaboração da assessoria técnica no âmbito da concepção e implementação de um Modelo de Gestão Estratégica de Recursos Humanos.

Este Projecto estratégico para o CFL, permitirá dotar a Direcção de Recursos Humanos deste operador de novos modelos e metodologias de abordagem, técnicas e instrumentos para uma gestão eficiente dos recursos humanos, de modo a assegurar o desenvolvimento de competências e qualificação dos seus colaboradores, e contribuir para a concretização dos objectivos traçados no Plano de Desenvolvimento Estratégico triénio 2010-2013.

A adjudicação representará para a Fernave uma receita na ordem dos 125 mil euros, devendo os trabalhos desenvolver-se por um período de 12 meses e envolvendo cerca de 3 consultores da Empresa em regime de quase exclusividade.